Rita Taborda Duarte vence 17.ª edição do Prémio Literário Fundação Inês de Castro pela obra «Não Desfazendo»

Rita Taborda Duarte é a vencedora do Prémio Literário Fundação Inês de Castro 2023, um galardão anual que distingue obras de prosa ou poesia escritas em língua portuguesa, pela obra Não Desfazendo, editada em 2023 pela Imprensa Nacional.

Poeta, professora do ensino superior e autora de livros para a infância, Rita Taborda Duarte (n.1973) escreve regularmente sobre poesia e ensaio, nas mais diversas publicações. Em 1998, publica o seu primeiro livro de poesia, Poética Breve, pela Black Sun Editores, a que se seguiram outros dois: Na estranha Casa de um Outro e Dos Sentidos das Coisas. Em 2003, vence o prémio Branquinho da Fonseca Expresso-Gulbenkian com o livro A Verdadeira História da Alice. A partir daí, tem escrito com regularidade para crianças e jovens, contando com uma dezena de obras publicadas. Em 2015 publica o livro de poesia Roturas e Ligamentos (Abysmo) em parceria com André da Loba (ilustrações). O livro As Orelhas de Karenin (Abysmo, 2019) foi finalista do prémio SPA autores e do prémio Casino da Póvoa-Correntes de Escrita na categoria de poesia. Em 2023, reúne os 25 anos da sua obra poética no volume Não Desfazendo, que conta também com um livro inédito, Uma Pedra na Boca.

A obra vencedora faz parte da Plural, uma coleção da Imprensa Nacional exclusivamente dedicada à Poesia em língua portuguesa, onde, além de autores consagrados do mundo da lusofonia, têm sido também publicados trabalhos de autores novos e emergentes, designadamente os vencedores do Prémio Imprensa Nacional/Vasco Graça Moura no domínio da Poesia.

O júri do Prémio Literário Fundação Inês de Castro, composto por Isabel Pires de Lima, Isabel Lucas, Mário Cláudio e António Carlos Cortez e presidido por José Carlos Seabra Pereira, distinguiu também o escritor A.M. Pires Cabral, com o Prémio de Tributo Consagração Fundação Inês de Castro 2023.

Ao longo dos anos, o Prémio Literário Fundação Inês de Castro tem distinguido autores e obras de reconhecido valor, como Pedro Tamen (2007), José Tolentino Mendonça (2009), Hélia Correia (2010), Gonçalo M. Tavares (2011), Mário de Carvalho (2013), Rui Lage (2016), Rosa Oliveira (2017), Djaimilia Pereira de Almeida (2018), Andreia C. Faria (2019), Daniel Jonas (2021) ou António Lobo Antunes (2022).

A cerimónia oficial de entrega destes prémios realiza-se no dia 23 de março, pelas 16h00, na Quinta das Lágrimas, em Coimbra.

48 Anos do Diário da República

48 Anos do Diário da República

Os 48 anos do Diário da República e da publicação da Constituição da República Portuguesa foram assinalados, no dia 10 de abril, com uma apresentação temática, intergeracional, na Escola Primária de Alcorriol, no concelho de Torres Novas. A apresentação, inserida na...

read more
Skip to content