Exposição dá a conhecer dois séculos e meio de atividade editorial, artística e industrial
Exposição dá a conhecer dois séculos e meio de atividade editorial, artística e industrial

Exposição Indústria, Arte e Letras. 250 Anos da Imprensa Nacional

6 de setembro de 2019

Abriu hoje ao público a exposição Indústria, Arte e Letras. 250 Anos da Imprensa Nacional, que dá a conhecer a história da Imprensa Nacional, percorrendo dois séculos e meio de atividade editorial, artística e industrial. A exposição, com entrada gratuita, vai estar patente até dia 24 de novembro no Picadeiro Real do Antigo Colégio dos Nobres, em Lisboa.

Organizada em 10 núcleos, que seguem uma narrativa cronológica, a mostra cruza várias dimensões que, não constituindo linhas temáticas, são transversais a toda a leitura histórica, do seu percurso industrial à atividade editorial, da sua dimensão artística ao seu papel formador na área das artes gráficas, até, enfim, ao desempenho de uma missão pública que foi sendo condicionada por diferentes contextos políticos mas que lhe conferiu sempre um papel estratégico.

Através de memórias, equipamentos, livros e documentos históricos, a exposição dá a conhecer a história da fundição de tipos, das oficinas de tipografia, de impressão, de gravura e de litografia, do património tecnológico e editorial e ainda do ensino técnico e artístico. Para além da história que remonta à sua criação por alvará régio em 1768, a evocação dos 250 anos da Imprensa Nacional compreende também uma leitura sobre o presente e o futuro da instituição e sobre os seus desafios de inovação, sobretudo aqueles associados à impressão gráfica de segurança e ao acesso ao conhecimento na era digital.

A Imprensa Nacional tem vindo a dinamizar um programa alargado de iniciativas para comemorar os 250 anos, integrando atividades editoriais, culturais e de valorização do património histórico desde a sua fundação até à atualidade. O programa de comemorações envolve diversos parceiros e destina-se ao público em geral.

Atualmente a Imprensa Nacional prossegue a sua missão como editora pública, agente cultural e de disseminação da língua e da cultura portuguesas, sendo também responsável pela publicação do Diário da República eletrónico e pela produção de livros, publicações, impressos, boletins, entre outros documentos de segurança.

A historiadora Inês Queirós é a coordenadora científica da exposição, que foi desenhada pelos ateliers Aires Mateus e FBA.

Local: Antigo Picadeiro Real do Colégio dos Nobres / Museu Nacional de História Natural e da Ciência. Rua da Escola Politécnica, nº 58, 1250-102 Lisboa

Horários: Terça a sexta – 10h00 às 17h00; Fim de semana – 11h00 às 18h00; Encerra à segunda-feira e feriados

Imagem maximizada

fechar [X]