Prémio contempla a edição da obra vencedora
Prémio contempla a edição da obra vencedora

Pedro Pereira Lopes vence 1.ª edição do Prémio Literário INCM/Eugénio Lisboa

23 de novembro de 2017

O moçambicano Pedro Pereira Lopes (Zambézia, 1987), com o texto Gente Grave, é o vencedor da 1.ª edição do Prémio Literário INCM/Eugénio Lisboa, que contempla a edição da obra premiada e a atribuição do valor monetário de 5 mil euros ao vencedor.

O júri, constituído pelo escritor moçambicano Ungulani Ba Ka Khosa, na qualidade de Presidente, por Teresa Manjate e por Alexandra Pinho, deliberou, por unanimidade, atribuir o prémio de prosa literária INCM/Eugénio Lisboa ao texto Gente Grave, da autoria de Pedro Pereira Lopes, e uma menção honrosa a Bebi do Zambeze, de António Manna.

De acordo com o júri, a atribuição do Prémio a Gente Grave deve-se ao facto de o autor explorar um género pouco trabalhado em Moçambique e de combinar o policial e o fantástico. O júri sublinhou, também, a correção, coerência e coesão linguística da obra da autoria de Pereira Lopes. Por seu turno, a atribuição de menção honrosa a Bebi do Zambeze deve-se à riqueza do imaginário explorado pelo autor.

Concorreram à 1.ª edição do Prémio INCM/Eugénio Lisboa um total de 36 textos, dos quais 22 entregues em Maputo, 11 em Nampula, 2 na Beira e 1 em Lisboa.

A Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM) de Portugal criou o Prémio Literário INCM/Eugénio Lisboa em Moçambique, em 2017, com vista a incentivar a criação literária no país.

Imagem maximizada

fechar [X]