Prémio INCM/Eugénio Lisboa procura incentivar a criação literária moçambicana
Prémio INCM/Eugénio Lisboa procura incentivar a criação literária moçambicana

Obras distinguidas com o Prémio INCM/Eugénio Lisboa apresentadas em Maputo

9 de abril de 2018

As obras distinguidas na 1.ª edição do Prémio Literário INCM/Eugénio Lisboa – Mundo Grave, de Pedro Pereira Lopes (obra vencedora), e Bebi do Zambeze, de António Manna (menção honrosa) – vão ser apresentadas em Maputo, Moçambique, no dia 17 de abril, às 18 h (hora local).

O galardão, destinado a trabalhos em prosa inéditos de autores moçambicanos, foi instituído em 2017 pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM), com o apoio do Camões, I. P., dando corpo à sua missão de promoção e preservação da língua portuguesa.

Além de procurar incentivar a criação literária moçambicana, através da edição das obras distinguidas e da atribuição de 5 mil euros ao vencedor, o Prémio presta ainda homenagem à figura de Eugénio Lisboa, enquanto cidadão e homem de cultura nascido em Moçambique.

A promoção da criação literária em língua portuguesa, acolhendo novos títulos e autores do mundo, faz parte das atribuições da INCM, que, além do Prémio INCM/Eugénio Lisboa, instituiu em 2010 o Prémio INCM/Ruy Cinatti, para Timor-Leste, e criou, em parceria com a Imprensa Nacional de Cabo Verde, o Prémio Literário Arnaldo França, que irá distinguir anualmente autores cabo-verdianos.

Imagem maximizada

fechar [X]