Vista parcial da Casa da Moeda
Vista parcial da Casa da Moeda

A INCM melhora os resultados globais em 2011

19 de julho de 2012

A INCM obteve em 2011 o resultado líquido de 26 milhões de euros, correspondendo a uma variação percentual positiva de 103 % relativamente ao ano de 2010, influenciado essencialmente pelo aumento do volume de negócios em 44 %, em resultado da atividade não corrente de destruição e alienação de disco amoedado, cujo processo terminará em 2013.

O volume de negócios da atividade corrente da empresa, expurgando a atividade não corrente do disco amoedado, diminuiu em termos percentuais 11% face ao ano de 2010.

O desenvolvimento da atividade e o financiamento dos investimentos foram feitos recorrendo sobretudo a capitais próprios, que muito contribuiu para manter a sua competitividade no mercado, aumentar a rendibilidade, remunerar de forma adequada o acionista e diminuir o grau de risco. A rendibilidade do capital próprio na ótica do acionista foi de 30%, superior em 71% face ao ano anterior.

Das suas cinco áreas de negócio, Publicações Oficiais, Moeda e Produtos Metálicos, Editorial, Contrastarias e Gráfica, esta última continua a ser a que mais contribui para o desempenho positivo da INCM, com um peso de 53% dos resultados, seguida da moeda e produtos metálicos com um peso de 12%.

Apesar da diminuição de 11% do volume negócios nas operações correntes, importa salientar que no desempenho específico de cada uma das áreas de negócio a evolução não foi desfavorável em todas elas.

A Gráfica registou um decréscimo no volume de negócios, face aos objetivos estimados para o ano em análise, nas principais hierarquias de produtos (impressos, cartões poliméricos, selos de autenticação e legitimação e passaportes).

A Moeda aumentou o volume de negócios em 27%, fundamentalmente devido à moeda de coleção com acabamento especial, em particular nas moedas de ouro.

Os projetos especiais da área Editorial, apesar de continuarem tendencialmente crescentes, não chegaram para compensar o decréscimo verificado nas edições INCM e nas margens que se mantêm negativas.

Nas Publicações Oficiais destaca-se os anúncios que representam 72% do seu volume de negócios.

As Contrastarias registaram um desempenho negativo, em consequência da diminuição acentuada dos serviços prestados e de o valor da indemnização compensatória atribuída, em resultado de os emolumentos pagos pela prestação dos respetivos serviços não serem atualizados desde 1990, ter sido substancialmente reduzida.

Imagem maximizada

fechar [X]