A 3.ª edição do prémio, em 2017, foi dedicada à tradução inédita de obras no domínio público
A 3.ª edição do prémio, em 2017, foi dedicada à tradução inédita de obras no domínio público

Prémio INCM/Vasco Graça Moura 2017 distingue duas traduções de poesia italiana clássica

30 de novembro de 2017

O vencedor da edição deste ano do Prémio INCM/Vasco Graça Moura é João Pedro do Carmo Rosa Mendes Ferrão, com a tradução de Rimas, da autoria do pintor, escultor, arquiteto e poeta quinhentista italiano Michelangelo Buonarroti.

De acordo com o júri do Prémio, «enfrentar a tradução integral das Rimas, de Michelangelo Buonarroti, é um desafio a que poucos se entregaram no contexto da língua portuguesa. E raros o conseguiram com tão minuciosa competência, num notável trabalho de artesão e de oficina, como o que João Pedro do Carmo Rosa Mendes Ferrão patenteia. O resultado é um trabalho monumental que certamente ficará a marcar a receção em português de um clássico do cânone europeu.»

Esta tradução da poesia de Buonarroti, distinguida de forma unânime pelo júri presidido por José Tolentino de Mendonça, será a primeira tradução da obra poética do autor a publicar-se em Portugal.

O mesmo júri, que integra ainda Pedro Mexia e Jorge Reis-Sá, atribuiu também uma menção honrosa à proposta de tradução que Ana Filipa Morais Ferreira da Silva Santos faz de Rimas de Guido Cavalcanti, que será igualmente publicada com a chancela da Imprensa Nacional, assinalando «a qualidade musical e a transparência obtidas, que nos permitem redescobrir com deliciado assombro uma poética tão fundamental».

A tradução inédita, para português, de obras no domínio público é uma das categorias contempladas pelo Prémio INCM/Vasco Graça Moura, a par do ensaio e da poesia, onde Vasco Graça Moura também se destacou.

A próxima edição, em 2018, será dedicada à poesia inédita em língua portuguesa.

Imagem maximizada

fechar [X]